História

barra_nossa_historia

A rica história do município da Barra começa por volta de 1670, quando um curral da Casa da Torre, de Dias D?Ávila, foi implantado nas barrancas do Rio Grande, exatamente onde suas águas se juntam às do rio São Francisco.

Surge aí a Fazenda da Barra do Rio Grande do Sul (do Rio Grande do Sul para evitar confusão com o Rio Grande do Norte).

Junto aos sertanistas vieram os padres para catequizar os índios dessas terras. Construiu-se então uma capela. A capela de São Francisco das Chagas, da Barra do Rio Grande do Sul. A fazenda cresceu e virou arraial.

Em 1698, o arraial passou a povoação. Isso, por determinação de Dom José I, rei de Portugal.

A Carta Régia foi assinada pelo então governador geral do Brasil, Dom João de Lancastro. Depois disso, o local ficou oficialmente conhecido como Povoação de São Francisco das Chagas, da Barra do Rio Grande do Sul.

Novos moradores chegavam de outras partes do país e até do exterior.

A povoação cresceu e em 1752 transformou-se em vila – vila de São Francisco das Chagas, da Barra do Rio Grande do Sul; porém o novo status só foi efetivado no ano seguinte, em 1753.

Nessa época, a economia da vila era promovida pela criação de gado, pela lavoura e pelo beneficiamento de carnes e peixes. A população era composta por vaqueiros, lavradores, pescadores, produtores de rapadura, de cachaça, caixeiros viajantes, etc.

Por mais de setenta anos a vila de São Francisco das Chagas, da Barra do Rio Grande do Sul, esteve subordinada a Pernambuco e depois a Minas Gerais. Só em 1827, depois que o Brasil se tornou independente de Portugal, Dom Pedro I, Imperador do Brasil, incorporou à Província da Bahia a Comarca do Rio São Francisco com sede na Vila da Barra.

Apesar disso, a Igreja, que era o outro grande poder da época, só transferiu a vila da Barra da diocese de Pernambuco para a diocese da Bahia em 1853.

Naquela época a única forma de comunicação com outras localidades era através de uma única linha de correio que ligava a Vila da Barra à Cachoeira, no Recôncavo Baiano. Funcionava com homens viajando a pé carregando malas de correspondências que tinham a obrigação de passar pela vila três vezes por mês.

Só em 1902 a situação melhorou. O vapor Saldanha Marinho começou a trafegar regularmente entre Pirapora, Minas Gerais e Juazeiro na Bahia, passando pela Vila da Barra.

Finalmente, em 16 de junho de 1873, a vila foi promovida à cidade! Cidade Florescente da Barra do Rio Grande. No mesmo ano reduziu-se a denominação e passou a ser chamada Barra do Rio Grande. Em 1931 ficou apenas Barra.

Formação Administrativa

  • Elevado à categoria de freguesia com a denominação de Barra do Rio Grande pela Provisão de 05-12-1752.
  • Elevado à categoria de vila com a denominação de Barra do Rio Grande pela Resolução Régia de 01-12-1852. Instalado em 27-08-1753.
  • Elevado à condição de cidade sob a denominação de Florescente da Barra do Rio Grande, pela Lei Provincial n.º 1.320, de 16-06-1873.
  • Pela Lei Municipal n.º 19, de 14-10-1894, é criado o distrito de Brejo do Buriti e anexado ao município de Florescente da Barra do Rio Grande.
  • Pela Lei Provincial n.º 2.329, de 14-07-1882 é criado o distrito de Icatu e anexado ao município de Florescente da Barra do Rio Grande.
  • Em divisão administrativa referente ao ano de 1911 o município é constituído de 4 distritos: Barra do Rio Grande, Brejo do Buriti, Icatu e Igaraí.
  • Pelos Decretos n.º 7.455, de 23-06-1931, e n.º 7.479, de 08-07-1931, o município teve sua denominação simplificada para Barra.
  • Pelo Decreto Estadual n.º 11.089, de 30-03-1938, o distrito de Brejo do Buriti passou a denominar-se simplesmente Buriti.
  • No quadro fixado para vigorar no período de 1939 a 1943, o município já denominado Barra é constituído de 4 distritos: Barra, Buriti, Icatu e Igaraí.
  • Pelo Decreto-lei Estadual n.º 141, de 31-12-1943, confirmado pelo Decreto-lei Estadual n.º 12.978, de 01-06-1944, os distritos sofreram as seguintes denominações: Icatu passou a denominar-se Ibiraba; Igaraí passou a chamar-se Igarité e Buriti teve seu topônimo alterado para Buritirama. Pelo mesmo Decreto-Lei Estadual é criado o distrito de Piragiba e anexado ao município de Barra.
  • Em divisão territorial datada de 1-VII-1950 o município é constituído de 5 distritos: Barra, Buritirama, Ibiraba, Igarité e Piragiba. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
  • A Lei Estadual n.º 4.440, de 09-05-1985, desmembra de Barra o distrito de Buritirama, elevado à categoria de município.
  • Em divisão territorial datada de 18-VIII-1988 o município é constituído de 4 distritos: Barra, Ibiraba, Igarité e Piragiba.
  • A Lei Estadual n.º 5.009, de 13-06-1989, desmembra do município de Barra o distrito de Muquém do São Francisco, elevado à categoria de município.
  • Em divisão territorial datada de 2003 o município é constituído de 3 distritos: Barra, Ibiraba e Igarité. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.